Reconstrução de mama

Atualmente, as mulheres não precisam mais viver o trauma da ausência de sua mama.

Logo após a retirada da mama (mastectomia), no mesmo ato cirúrgico, já podemos iniciar a primeira etapa da reconstrução mamária, através da colocação de um expansor de tecidos. Este dispositivo é colocado na região mamária e vai sendo ‘inflado’ com a injeção gradual de soro fisiológico. Deste modo, vamos expandindo a pele remanescente na região mamária operada a fim de permitir a colocação futura de uma prótese de silicone. Esta expansão é necessária devido à falta de pele no local, pois foi retirada na mastectomia.

Assim, a mulher mastectomizada não necessariamente tem que vivenciar todo um pós-operatório, por vezes traumático, de retirada da mama. Ela reage mais positivamente sabendo que o processo de reconstrução de sua mama já se iniciou.

O único senão desta reconstrução imediata é a necessidade da realização de radioterapia pós-operatória. Nestes casos, deve-se aguardar o término da radioterapia para avaliarmos as condições locais da área irradiada para sabermos se ela suporta ou não um processo de expansão.

A boa notícia é que, hoje em dia, com as diversas formas de próteses de silicone para a reconstrução mamária disponíveis no mercado, podemos obter resultados muito bons na mama reconstruída e alcançar altos índices de satisfação em nossos pacientes.

Com o avanço da medicina, o tratamento do câncer de mama passou a apresentar altos índices de cura e nenhuma mulher precisa mais passar o resto de sua vida sentindo-se mutilada.

Até lá, um abraço,
Pedro Faveret

 

Artigos

  • Os 50 anos das próteses mamárias de silicone.
  • Mitos em Cirurgia Plástica – Mito 1
  • Mitos em Cirurgia Plástica – Mito 5
  • Prepare seu corpo para o Verão
  • Lipoenxertia: corrigindo pequenas imperfeições
  • Mamas: o que determina o seu envelhecimento
  • A inquestionável a segurança das próteses mamárias de silicone
  • Mitos em Cirurgia Plástica – Mito 4
  • Mitos em Cirurgia Plástica – Mito 3
  • Mitos em Cirurgia Plástica – Mito 2
  • Rinoplastia: Quando fazer “o menos”, pode significar mais.
  • Preenchimento de rugas faciais
  • Prótese de mama: quando e por que colocá-la
  • É possível fazer lipo nos braços?
  • Lipoaspiração com anestesia local pode?
  • Saiba o quanto se pode retirar em uma lipoaspiração.
  • Lipoaspiração tumescente X convencional
  • A forma e detrimento à uma cicatriz.
  • Normas Informativas e Compartilhadas em Cirurgia Plástica
  • Correção de cicatrizes
  • Cicatrização de feridas
  • Mamaplastia redutora
  • Blefaroplastia
  • Lifting facial: o resgate da sua beleza
  • Peeling químico superficial: sinta na pele a diferença.
  • Lipoaspiração
  • Lipoescultura
  • Rugas de Expressão
  • Otoplastia – correção de orelhas em abano
  • Rejuvenescimento facial
  • Mastopexia: a correção da flacidez mamária.
  • Prótese de Gel Coesivo
  • Lifting de sobrancelhas sob anestesia local
  • As causas da celulite
  • Divórcio, ani-depressivos, perda ou ganho de peso podem acrescentar anos à sua face.
  • A segurança comprovada da Cirurgia Plástica.
  • Plástica Mamária Masculina (Ginecomastia)
  • Cirurgia com anestesia local
  • O uso de células tronco para o aumento das mamas.
  • Fim do complexo e dos apelidos
  • Tratamento Cirúrgico de Queimaduras
  • Nariz feio é opção!
  • Estética Íntima
  • Nariz Perfeito
  • Beleza para os lábios
  • Plástica de pescoço
  • Toxina Botulínica – muito além da estética
  • Alimentação precoce após a abdominoplastia pode acelerar a alta hospitalar
  • Reconstrução de mama
  • Bronzeamento artificial: O que você deve saber antes de fazer
  • www.pedrofaveret.com.br | © 2018 Todos os direitos reservados à Dr. Pedro Faveret